Header Ads

Entrevista com o presidente do Vitória Alexi Portela ao site Bocão News

Acervo do Leão
O presidente do Esporte Clube Vitória desde 2006, Alexi Portela Jr., concedeu uma entrevista especial à equipe de reportagem do Bocão News onde esclareceu diversas dúvidas em relação às finanças, à disputa presidencial dentro do clube, a Via Expressa Barradão, ações de marketing e contratações. O dirigente declarou que “o Vitória tem um time muito mais qualificado do que o Bahia” e que jamais vestiria a camisa do tricolor. Alexi discursou também sobre a política financeira de ‘pés no chão’ que implantou no rubro negro e a importância dos sócios torcedores, além de falar sobre a utilização da Arena Fonte Nova e da modernização que pretende fazer no Barradão.

Confira abaixo a entrevista completa com o mandatário rubro negro.

(Fotos: Gilberto Junior // Bocão News)

 
Bocão News: O que o senhor achou do resultado do último Ba-Vi? Esperava por uma goleada?

Alexi Portela: Na realidade num clássico nunca podemos esperar por uma goleada. A gente esperava ganhar o jogo, pois acho que temos um time mais qualificado que o Bahia. Dizer que esperava uma goleada não é verdade. Agora como decorreu o jogo, como se encaminhou, achei que o resultado foi pouco. Acho que podia ser um pouco mais, pelo decorrer do jogo.
 
BNews: Em relação às declarações do presidente do Bahia após o clássico, que disse que o time do Bahia é melhor do que o do Vitória, o que o senhor pensa a respeito?
 
AP: Acho que o Vitória tem um time muito mais qualificado do que o Bahia, não tenho dúvidas disso. Agora como falei. Clássico é complicado, você não pode antecipar o resultado, espero que a gente sempre ganhe. Mas o Vitória sem dúvidas tem um time muito mais qualificado do que o Bahia.
 
BNews: Então o Vitória vai ser o campeão baiano?
 
AP: Espero que sim, estamos lutando e montei um time para isso, para ser campeão baiano.
 

BNews: Em relação às finanças do clube. Como andam? Estão equilibradas?  A política de ‘pés no chão’ está dando certo no Vitória?
 
AP: É só você andar no clube hoje e ver. Quem anda aqui sabe como era antigamente e como está hoje. Acho que isso funcionou. Claro que o torcedor e a imprensa cobram que a gente monte um grande time. Acho que este ano estamos com grandes jogadores. A tendência é que cada vez que você vá regularizando, vá pagando as dívidas anteriores, poderemos pegar este dinheiro que hoje não está sendo investido no futebol. Não tenho dúvida que a cada ano que passa o Vitória vai investir mais e vai montar grandes times.

BNews: O senhor acha que esta política de ‘pés no chão’ foi responsável pela queda do Vitória para a Série B do Brasileirão em 2010?
 
AP: Não concordo. Acho que o Vitória caiu num ano em que não era pra ter caído. Se você for ver do elenco do Vitória naquela época, doze jogadores do elenco estavam no outro ano, em 2011, titulares de times de Série A. Acho que aquela paralisação que teve para a Copa do Mundo, com a paralisação da Copa do Brasil, que a gente não pôde reforçar prejudicou o time. Perdemos o foco porque estávamos na quartas de finais da Copa do Brasil. Aquilo ali realmente atrapalhou um pouco. O Vitória tinha um time muito bom e não foi isso que ocasionou a queda. Repare que ganhamos grandes jogos e perdemos para times bobos quando a gente estava disputando as duas competições. Para mim foi uma fatalidade e não esperava o Vitória cair naquele ano.
 
BNews: Em relação às cotas de patrocínio do Campeonato Brasileiro. O Vitória já fez algum adiantamento?
 
AP: Na realidade, nas cotas de patrocínio, nós temos uma cláusula de confidencialidade, mas pode ter certeza que o Vitória, desde que eu entrei no clube, nunca tomou adiantamento em ano nenhum, não é só neste ano não. Pelo o que a gente tem conversado com o pessoal da Globo, o Vitória é um dos poucos clubes que não toma adiantamento destas cotas no Brasil.
 
BNews: Quais os caminhos que a diretoria está procurando para conseguir novos investimentos? Quais ações de marketing do Vitória no retorno à Série A do Brasileirão?

AP: A nova política do sócio torcedor, da valorização do sócio torcedor, que as grandes empresas do Brasil estão fazendo vai mudar muito. Não tenho dúvida que a grande diferença do Vitória será o sócio-torcedor. O ‘Sou Mais Vitória’ (programa de sócios torcedores) é uma coisa que o Vitória tem que crescer. Hoje temos seis vezes mais patrocinadores do que em 2006, quando pegamos o clube. Aumentou muito o marketing do Vitória, mas sem dúvida nenhuma a grande diferença no Vitória quem pode fazer é a torcida se associando ao ‘Sou Mais Vitória’.

BNews: O Vitória vem ampliando o espaço de sócios no Barradão e na última reforma uma escada que ficava na arquibancada comum ficou dentro da área de sócios das cadeiras, deixando os torcedores comuns sem ter por onde subir nas arquibancadas. A tendência do clube é valorizar os sócios ao mesmo tempo em que desvaloriza o torcedor comum? (Pergunta enviada pelo torcedor Tarso Duarte)

AP: O sócio torcedor não fica só na cadeira. Tem o de arquibancada e o de cadeira. Então o Vitória não está desvalorizando. Agora que vamos dar preferência ao sócio torcedor, não tenha dúvida disso. Como é no mundo todo. O sócio torcedor tem privilégio dentro do estádio, em compra de camisa, em tudo. O sócio torcedor vai ter privilégio sim.

BNews: O Vitória fechou contrato com a Arena Fonte Nova para cincos jogos. Entretanto pode vir a ter uma pressão da torcida e da imprensa para que o time faça mais partidas no estádio. O senhor já sabe como lidar com isso?

AP: Na realidade o futebol é negócio. Não podemos levar só no lado da filantropia e da  paixão. Claro que temos nossa casa, que temos que respeitar toda a história que tem o Barradão, mas a gente não pode esquecer que temos uma Arena de primeiro mundo, de Copa do Mundo aqui em Salvador, que tem que ser usada em grandes jogos. A princípio assinamos por cinco jogos. Vamos jogar o próximo Ba-Vi e contra o Internacional na estreia do Brasileirão já confirmamos. Nada é definitivo e não podemos dizer que só jogaremos estes cincos jogos, vamos aguardar para ver o que pode acontecer.

BNews: Tem torcedor que acredita que a Fonte Nova é um campo neutro e por isso seria prejudicial mandar alguns jogos lá no Brasileirão. O que o senhor pensa a respeito disso?

AP: Por isso que temos que avaliar, analisar os prós e os contras. Claro que a primeira coisa é que temos que ganhar o jogo, não podemos pensar só na parte financeira. Se realmente for necessário que se jogue aqui no Barradão, mesmo um grande clássico, nós vamos colocar aqui, não tenha dúvida disso.

BNews: O senhor pensa em reformar o Barradão? Colocar assentos, coberturas e restaurantes? Transformar o estádio em uma ‘Arena Barradão’?  
     
AP: Sem dúvida nenhuma. Agora a primeira coisa que devemos fazer é o acesso ao Barradão. Não adianta eu transformar isso aqui em uma Arena e continuar com o acesso que tenho hoje. Com certeza eu não vou conseguir trazer mais torcedores do que eu já tenho. Tanto é que estamos lutando por essa nova avenida. Pelo o que a gente conversou com o secretário Cícero Monteiro da Sedur, ele nos garantiu que essa avenida vai sair. Então saindo essa avenida aí teremos que repensar o Barradão.

BNews: Por falar nesta avenida, afinal de contas quem é o ‘pai da criança’ da Via Expressa Barradão? Fábio Mota ou Marcelo Nilo?

AP: Na realidade essa avenida vai ser construída pelo governo do Estado, pela Conder, com verba do Ministério do Turismo. É boa essa discussão contanto que a avenida saia. Não importa que tenha mais de um pai, o que importa é que a avenida saia e que o Vitória seja beneficiado.

BNews: Em relação às eleições, o senhor vai apoiar Carlos Falcão ou Fábio Mota?    
     
AP: Na realidade ainda não defini. Não sou eu quem vai definir a candidatura. Vai ser a turma que está me apoiando, a diretoria. Vamos decidir em conjunto quem vai ser o candidato. Ainda não temos nada definido, mas lógico que a tendência natural é que sejam pessoas ligadas ao clube, que estejam aqui dentro. Porque já conhece, pegou na “alça do caixão” desde o início com a gente. Temos pessoas preparadas aqui que podem ser presidente do Vitória. Se a pessoa quer ser realmente presidente, primeiro tem que estar dentro do clube, tem que conhecer o clube para não haver uma descontinuidade. Acho muito cedo estarmos discutindo isso agora, pois temos um Campeonato Baiano, a Copa do Brasil. Ficar discutindo presidência neste momento só faz prejudicar o clube como um todo. Fica esse ‘disse-me-disse’, e acho que não é hora. Quem está falando em candidatura agora está prestando um desserviço ao Vitória.

BNews: Por que não instituir um sistema de voto proporcional, onde as chapas elegeriam seus conselheiros proporcionalmente aos votos que receberem? (Pergunta enviada pelo torcedor Reinaldo Copello)

AP: Pode ler o estatuto do Vitória, estamos até reformulando agora. Não tem nenhum estatuto mais aberto do que o do Vitória. Imagine se 400 pessoas se reunirem no ‘Sou Mais Vitória’, com um ano e meio de sócio torcedor, ele pode se candidatar, fazer uma chapa, fazer o conselho e ganhar a eleição. Nós abrimos muito o clube. Se for ver no conselho, na reunião, alguns conselheiros questionaram porque a gente ia jogar na Arena e disseram que tem que ter mais democracia. Vários conselheiros eu não conheço, se passar por mim na rua eu não sei quem são, mas entraram na minha administração. Porque amigos, pessoas ligadas ao clube acharam que eles eram rubro negros e poderiam ajudar, então aceitei. O Vitória hoje tem um conselho que não é formado apenas por amigos. São pessoas rubro negras que têm condições de ajudar o clube. Não tem esse negócio de ser fechado, só amigos e parentes.

BNews: Em relação ao elenco, os torcedores questionam que o Vitória só tem Mansur para a lateral-esquerda. O Vitória pretende contratar alguém?

AP: Vejo, às vezes, até com tristeza quando as pessoas falam de Mansur, de que ele é só uma promessa. Repare que o único jogo que ele não entrou jogando contra o Ceará, o Vitória perdeu. Claro que ele tem deficiências, tem apenas 20 anos de idade, é um garoto, é uma promessa, mas vai muito bem. É uma posição que hoje no Brasil não tem. Não tem lateral esquerdo nem para a seleção. É uma dificuldade para as duas laterais. Claro que precisamos de outro lateral para compor elenco e estamos procurando. Agora não adianta trazer qualquer um e vamos trazer um para preencher o que nós queremos.

BNews: E o atacante de peso que a diretoria prometeu? Só vem para o Brasileirão? (Pergunta enviada pelos torcedores Bruno Gonçalves e Tácio Santana)

AP: Estamos procurando, repare que não é o só o Vitória. O Grêmio teve que pagar uma fortuna para tirar o atacante Barcos do Palmeiras. Não vamos deixar nunca de ir atrás. A partir do momento que acharmos e que esteja disponível, vamos trazer independente do primeiro ou segundo semestre.

BNews: Houve algum contato com Adriano ‘Imperador’?

AP: Não, isso aí não existe. Queremos trazer um jogador que esteja em atividade, não um jogador que esteja parado.

BNews: E Marcelo Moreno do Grêmio, houve alguma sondagem?

AP: Tínhamos intenção, mas ele não tinha intenção de sair do Grêmio na época. Realmente era um nome que podia ter vindo, mas infelizmente não deu certo.
 
BNews: Já são dois anos sem ganhar o estadual e uma eliminação precoce na Copa do Nordeste. O que tem faltado nestes últimos anos para o time chegar mais forte nas decisões?

AP: O ano passado infelizmente foi a falha do goleiro. Tivemos três falhas na final. O Vitória mereceu ganhar a partida e tomamos três gols fáceis. O ano retrasado não, em 2011, foi uma vergonha, perder para o Bahia de Feira em casa é complicado. A eliminação da Copa do Nordeste, pra mim foi a melhor partida que o Vitória fez, foi contra o Ceará. Só que foram quatro bolas no nosso gol e tomamos quatro gols. Às vezes futebol é muito complicado, a sorte não tá do seu lado naquele dia, aí não tem jeito.

BNews: Os jogadores que foram campeões da Copa do Brasil sub-20 serão incorporados ao profissional? A base está sendo bem aproveitada? (Pergunta enviada pelo torcedor Elmar Mendes)

 AP: Não adianta botar os meninos prematuramente. Repare que estamos botando Mansur e Gabriel e ficam criticando. Temos Gabriel Soares, Magal, Alan Pinheiro e Gustavo. Temos vários jogadores no profissional, já incorporados ao grupo. Os outros ainda têm 18 anos. Tem jogador ali que tinha 17 anos e tem mais três anos de júnior. Então não adianta trazer todo mundo e jogar a responsabilidade. Vai colocar os meninos todos pra fora, temos que ter um pouco de prudência. Têm jogadores que mesmo sendo campeões no sub-20 ainda não estão preparados para jogar no profissional do Vitória, têm que queimar etapas ainda.

BNews: Quando o Vitória terá condições de montar um time para conquistar um título nacional ou terminar o Campeonato Brasileiro nas posições que classificam para a Libertadores da América?(Pergunta enviada pelos torcedores Rildo Correia e Duda Reis)

AP: Temos pretensões maiores neste ano. Não sei se eles são sócios torcedores, pois têm que se associar. Tudo na vida se mexe com dinheiro, não adianta você querer fazer apenas com amor e paixão. Você não faz um time se não tiver dinheiro. Quando chegamos aqui os campos estavam acabados, mal tínhamos um lugar para treinar. Hoje temos um centro de treinamento, que a Itália ficou encantada com o que viu. Então temos que ter os pés o chão e a tendência é que, se nós não tivermos um acréscimo, o abismo aumente cada vez mais para o sul. Por isso a Copa do Nordeste vai ser importante porque precisamos de outras receitas. Precisamos ter uma receita para o primeiro semestre que a gente possa montar um time mais forte para não termos que montar às vésperas do Campeonato Brasileiro. Repare que não é só o Vitória. O Sport subiu e desceu, o Náutico também. Acho que a gente tem que ter um pouco mais de dinheiro e para isso precisamos do sócio torcedor. No dia que o Vitória tiver uma receita melhor, estamos trabalhando para isso, não tiver que pagar as dívidas que estamos pagando e este dinheiro todo for direcionado para o futebol, vamos poder montar times cada vez mais fortes para competir com os times do Sul.
 
BNews: Até quando o Vitória ficará com a empresa de material esportivo Penalty estampada na camisa? Não está na hora de o Vitória ter um investidor de primeira qualidade? (Pergunta enviada pelo torcedor Edney Maciel)

AP: Não concordo com ele. A Penalty é uma empresa de primeira linha. O São Paulo e o Vasco estão com a Penalty também. Acho que ele está desvalorizando uma empresa nacional. Uma empresa que valoriza o futebol e que sempre apoiou o Vitória, mesmo na segunda divisão. Não é por aí, não concordo que a Penalty seja de segunda linha.

BNews: Deixe uma mensagem para o torcedor rubro negro leitor do site Bocão News.

AP: Primeiro gostaria de agradecer e parabenizar pelo site que eu não tenho dúvida que é um dos mais acessados da Bahia, pela credibilidade e pelas pessoas que trabalham lá. Gostaria de dizer ao torcedor do Vitória que apoie. Pode ter certeza que nós temos nossos erros, nossas dificuldades, mas a gente faz tudo aqui com muita seriedade e com muita honestidade. A gente espera que ele continue nos apoiando, vindo ao estádio, se associe ao ‘Sou Mais Vitória’ e isso tudo vai fazer com que o clube seja cada vez maior.

BNews: Para finalizar, Alexi Portela vestiria a camisa do Bahia? Deixando a presidência do Vitória, o senhor trabalharia no tricolor?

AP: De jeito nenhum. Nunca pensei nisso e pode ter certeza que isso nunca vai acontecer.

Fonte: Site Boção News   

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.